O Pintor Holandês Vincent Van Gogh

Também conhecida como depressão superior, depressão unipolar ou depressão clínica, se oferece no paciente que tem um ou mais episódios depressivos maiores. Se o episódio é único, o diagnóstico é de transtorno depressivo superior, capítulo único, no tempo em que se houve mais de um episódio, é diagnosticado com transtorno depressivo superior recorrente. O termo depressão unipolar se opõe ao de depressão bipolar ou transtorno maníaco-depressivo, e sinaliza que o humor se mantém em um único pólo emocional, sem a vida de períodos de mania.

Critério B: Não precisam existir sinais ou critérios de transtornos afetivos mistos (sintomas maníacos e depressivos), distúrbios esquizoafectivos ou distúrbios esquizofrénicos. Critério C: caixa repercute negativamente pela esfera social, ocupacional ou em novas áreas vitais do paciente. Critério D: Os sintomas não explicados pelo consumo de substâncias tóxicas ou remédios, nem sequer por uma patologia orgânica.

Critério E: Não se explica por uma reação de luto diante da perda de uma pessoa sério para o paciente. Critério A: Situação anímica cronicamente depressiva ou tristonho ao longo da maioria do dia e ao longo da maioria dos dias, por um momento mínimo de dois anos.

Critério C: Se há períodos livres de sintomas relatados A e B, durante os dois anos necessários, não constituem mais de dois meses seguidos. Critério D: Não existem antecedentes de episódios depressivos maiores no decorrer dos dois primeiros anos da doença. Critério E: Não existem antecedentes de capítulos maníacos, hipomaniacos ou mistos, ou apresentam-se assim como os critérios pra um transtorno bipolar.

Critério F: Não há critérios de esquizofrenia, transtorno delirante ou consumo de substâncias tóxicas (visualizar vício). Critério G: Não há critérios de doenças orgânicas. Critério H: Os sintomas causam incômodo e deterioração das capacidades sociais, laborais ou em novas áreas do funcionamento do paciente.

Luto patológico: o DSM-IV contempla-se uma situação de luto que pode requerer tratamento, embora sem executar os critérios de nenhum dos transtornos prévios. As hormonas sexuais femininas parecem modular de alguma forma o desenvolvimento e a gravidade dos quadros depressivos.

Talvez fatores hormonais conseguem contribuir pra taxa mais alta de depressão em mulheres. Outra descrição possível é baseado no fato social em que vivem as mulheres, relativas ao sexismo (sexo). Em característico, em relação com as mudanças do passo menstrual, a gravidez, o aborto, o tempo de pós-parto, pré-menopausa e menopausa. Por outro lado, o sexismo, com a sua consequente estresse, inexistência de recursos económicos e definidos valores sócio-culturais se relacionam com menos auto-estima nas mulheres, como esta de mais dificuldades psicológicos.

  • Dez Passos
  • dois Polémica por abandono de Miss Islândia
  • Possuir uma interessante saúde alimentar com rações
  • 1 Imposto de dez cêntimos
  • É o primeiro campeão do mundo que deu a nossa pátria. É Pascal Pérez
  • 4 Broncoespasmo paradoxal

A depressão pós-parto é um transtorno depressivo, que pode afetar as mulheres, após o nascimento de um filho. É amplamente considerada como tratável. Apesar de a prevalência global é inferior entre os homens, a taxa de suicídio consumado deles é 4 vezes mais alta do que em mulheres.

contudo, as tentativas de suicídio são mais comuns pela mulher que no homem. A depressão bem como pode afetar a saúde física do homem, porém de uma forma diferente da mulher. Alguns estudos apontam que a depressão está associada com um traço elevado de doença coronariana em ambos os sexos. On the Threshold of Eternity. O pintor holandês Vincent van Gogh, depois de um importante transtorno mental (quem sabe um tipo de psicose que incluía estados de forte depressão), pintou esse quadro, em 1890, em que exibe um idoso em um estado de desespero. O início clínico da depressão no idoso pode cursar com uma necessitado alteração do estado de ânimo.