Os Neandertais. O Que Sabemos?

Os estudos paleogenéticos indicam uma origem comum pro homem moderno e o homem de Neandertal, tal como híbridos entre as duas variedades de hominídeo em, ao menos, dois lugares e momentos diferentes: Oriente médio e Europa ocidental. Anatomicamente, os neandertais eram mais robustos que o homem moderno, com um tórax e quadril largos e patas curtas. O crânio se caracteriza por seu duplo arco superciliar, em frente huidiza, a falta de queixo e uma perícia craniana média maior que a do Homo sapiens sapiens. Os estudos anatômicos e genéticos sugerem a promessa de que tivessem uma linguagem articulada.

O tipo de ferramentas de pedra que foram localizados, e as que se lhes associa, é datam da chamada cultura Musteriense, característica do Paleolítico médio. Os neandertais eram onívoros e exploram uma ampla diversidade de alimentos de pesca, frutos do mar, vegetais, etc

Se desconhecem as causas exatas de tua extinção. As hipóteses consideradas guardam conexão com a expansão do Homo sapiens na Eurásia, como esta de por as transformações climáticas. A denominação Homo neanderthalensis foi proposta em 1864 pelo geólogo William King, em uma conferência da Agregação Britânica para o Avanço da Ciência, e dita pela publicação: “O provável homem fóssil do Neanderthal”.

  • As fontes on-line necessitam encaminhar-se em modelos referidas em WP:REF
  • Paleta de sombras Romanced do W7, 5,95€
  • um A família de Carlos IV e de outros retratos
  • Maquiagem laranja, ou não, adequado à tua pele
  • um Heládico inicial

O começo da história dos neandertais é também o começo da paleoantropologia. A descoberta, em 1856, foi praticado por Johann Karl Fuhlrott e exposto em 1857 por Hermann Schaaffhausen. Franz Mayer, para esclarecer esse achado, inventou uma teoria curiosa. De acordo com Franz Mayer, o esqueleto pertencia a um cossaco russo que perseguia Napoleão a partir da Europa. Dizia que o cossaco sofria de raquitismo, o que explicaria a maneira arqueada de suas pernas, e que a angústia do raquitismo lhe fazia curvar em tão alto grau as sobrancelhas, que lhe produziam em torno de fortes arcos supraciliares.

Europa, e desapareceram há por volta de quarenta 000 anos, quando você perde o seu vestígio arqueológico no sul da península ibérica. As causas de sua extinção, ainda são fundamento de discussão, entretanto não ocorreu sem antes hibridarse, o Homo sapiens sapiens, que bem como manteve relações sexuais com os denisovanos, dando espaço a indivíduos férteis, tal como declaram os estudos paleogenéticos. Homo erectus ou Homo ergaster e neandertais.

Um crânio exumado em Steinheim (Alemanha), datado de 250 000 a. C poderia corresponder à mesma espécie do Homo heidelbergensis ou preneandertaliense. Em tais casos, trata-se da glaciação Mindel ou do interglacial Mindel-Riss, respectivamente. O último destes crânios está mais evoluído embora, na linha do primeiro, entretanto tua know-how craniana é baixa (pouco mais de 1150 cc). A descoberta do genoma completo do neandertal ajudou a definir de forma mais deve os tempos de divergência entre as diferentes estirpes.

Os humanos se separaram os neandertais e os denisovanos há 571 000 anos, enquanto que os neandertais e os denisovanos o fizeram há 381 000 anos. Na península ibérica existem provas de sua existência desde há cerca de 230 000 anos até há em torno de vinte e oito 000 anos, como sinalizam estudos recentes.